Passar as roupas aos poucos é mais econômico do que esperar que as peças se acumulem

Mito. Muitas pessoas acreditam que passar as roupas somente no momento de usá-las é mais vantajoso economicamente. Porém, o gasto de energia do ferro de passar é causado pelo aquecimento do aparelho e, por isso, é melhor passar uma quantidade maior de roupas quando ele já está quente.

Equipamentos em stand-by consomem energia

Verdade. Mesmo que estejam apenas plugados na tomada, aparelhos elétricos consomem energia. Aliás, ao contrário do que pensa o senso comum, eletrodomésticos em stand-by têm um gasto de eletricidade significativo, chegando a representar 12% do consumo doméstico.

As lâmpadas quentes iluminam mais

Mito. O que determina o quanto uma lâmpada ilumina é sua quantidade de lúmens, ou fluxo luminoso. Já a sua temperatura nada tem a ver com isso.

Lâmpadas de led geram mais economia do que as fluorescentes

Verdade. Enquanto as lâmpadas fluorescentes têm uma vida útil média de 8 mil horas, as de LED podem chegam a 25 mil horas. Além disso, com uma potência de 10 watts, os modelos LED produzem a mesma intensidade de iluminação que os fluorescentes geram com 15 watts.

O chuveiro é o eletrodoméstico que mais consome eletricidade

Mito. É fato que os chuveiros consomem uma grande quantidade de energia por um curto período de tempo, mas o aparelho de ar-condicionado é o eletrodoméstico que mais requer atividade.

Chuveiro de 220 volts esquenta mais

Não é verdade! Assim como a questão anterior, o que determina o consumo de energia é o tempo em que um chuveiro é usado e a sua potência. Portanto, dois chuveiros de um mesmo modelo e com tensões diferentes — de 110 e 220 volts — terão o mesmo consumo de energia.

Aparelhos ligados em 220 volts consomem menos energia

A verdade é que a tensão de um aparelho não influencia no maior ou no menor consumo de energia. O que determina isso é a potência de cada equipamento e, principalmente, o tempo em que é mantido ligado. Logo, não faz diferença se ele é 110 volts ou 220 volts.

Posso secar roupas atrás da geladeira sem estragá-la

Costume de muitas pessoas, principalmente naqueles dias chuvosos e úmidos, a ação de secar roupas atrás da geladeira não só diminui a vida útil do aparelho pelo desgaste, como também aumenta, consideravelmente, o consumo de energia.
Portanto, não importa se são peças pequenas! Elimine logo este hábito péssimo em sua casa e economize.

Acelerar a secagem de roupas colocando-as atrás da geladeira aumenta o consumo elétrico

Verdade. As grades da parte de trás do refrigerador precisam estar desobstruídas para a circulação do fluído que dissipa o calor de dentro do eletrodoméstico para o ambiente. Por isso, pendurar roupas úmidas na parte anterior da geladeira causa aumento do consumo de energia e a sobrecarga.

Ligar e desligar aparelhos diversas vezes é melhor do que os manter ligados

Na maioria das vezes, isso não é verdade. Considerando que hoje utilizamos aparelhos com uma maior frequência, é muito mais vantajoso deixá-los ligados em vez de ficar ligando e desligando-os muitas vezes ao dia.
A explicação está no fato de muitos equipamentos terem um pico de consumo alto no momento de ligar. Por isso, compensa mantê-los ligados quando o retorno de uso for em um tempo igual ou menor do que 15 minutos.

O consumo consciente da água diminui os gastos com eletricidade

Verdade. Especialmente em se tratando de apartamentos, é necessário o uso de uma bomba de funcionamento elétrico para levar a água da rua até a caixa d’água. Assim, economizando água, você também reduz a conta energética.

A posição da instalação do ar-condicionado não influencia na conta de luz

Mito. Para o menor consumo energético possível, o ideal é que os aparelhos de ar-condicionado sejam instalados na parte superior do cômodo. Isso porque esse equipamento funciona devido à transmissão de calor por convecção.

O ar quente, por ser menos denso, sobe, é resfriado pelo ar-condicionado e, depois de frio, desce. Assim, é importante que o aparelho fique em um lugar onde o sol não incida diretamente, para facilitar a convecção térmica.

O ar condicionado é um grande vilão do consumo de energia

Depende. Segundo Wagner Carvalho, no momento de utilização o ar é sim o aparelho que mais consome energia em uma casa. Mas seu consumo total, comparado com outros equipamentos, vai depender da utilização e do modelo. “Aparelhos com tecnologia inverter baixam a rotação do compressor quando a temperatura desejada é alcançada, sem desligá-lo totalmente, evitando picos de consumo de energia”, diz. Além disso, também é preciso dimensionar bem a potência do ar para o ambiente que ele vai refrigerar. Um modelo de 18 mil BTUs em tese consome mais energia. “Mas se o consumidor optar por um de 9 mil ou 12 mil para um ambiente muito grande, o aparelho vai funcionar no limite da capacidade e consumir mais”, diz o consultor.

A última dica é manter o filtro sempre limpo, já que a sujeira dificulta a circulação de ar, aumentando o consumo energético.

Colocar uma garrafa de água em cima do relógio de luz ajuda a reduzir o consumo

Mito. Por incrível que pareça, segundo Carvalho essa ainda é uma crença muito difundida em cidades do interior. Segundo o consultor, a origem desse mito é uma lenda urbana que diz que, antigamente, havia um esquema de fraude entre alguns moradores e as concessionárias de energia. Os fraudadores colocariam uma garrafa de água em cima do relógio para sinalizar que faziam parte do esquema, então o profissional que fazia a medição registrava uma leitura abaixo da verdadeira naquelas casas. “Não existem nenhuma evidência científica que esse hábito reduza o consumo de energia”, diz.

Falar ao telefone enquanto o aparelho carrega é seguro

Verdade. Falar em celulares conectados pode ser bastante perigoso! Neste tipo de atividade, a bateria do aparelho pode esquentar muito e provocar falhas no funcionamento. Em casos mais sérios, podem explodir durante o uso.

Deixar o carregador sozinho na tomada não gasta energia

Atualmente, os carregadores estão mais modernos e gastam menos energia do que os antigos quando mantidos na tomada. No entanto, sempre há um pequeno consumo, mesmo quando eles não estiverem conectados. Sendo assim, sempre que puder, retire qualquer dispositivo da tomada e economize.